9:00 - 18:00

Segunda à Sexta-feira

(41) 3524-9094

Agende seu horário

Facebook

Linkedin

Pesquisar
 
CR Advogados > Direito das Famílias  > ANO NOVO PENSÃO NOVA?

ANO NOVO PENSÃO NOVA?

O salário mínimo subiu e a pensão alimentícia também deve subir?

Que 2020 está aí todos sabemos, mas a dúvida que fica é se o valor da pensão alimentícia dos filhos tem de ser reajustada (o que chamamos carinhosamente no título de “pensão nova”).

A resposta é depende. Sim, o velho e bom depende que é tão clichê no universo jurídico.

Isso porque cada pensão é fixada de uma forma própria pelo Juiz que julgou o caso. É bastante comum que a fixação ocorra em percentual sobre o salário mínimo e, sendo esse o caso, haverá sim “pensão nova” com a mudança do ano.

Assim ocorre porque todo dia primeiro de cada ano passa a vigorar um novo valor de salário mínimo a nível nacional; assim, todo dia primeiro de janeiro o valor da pensão deve ser  automaticamente reajustado.

Um exemplo prático, caso a pensão tenha sido fixada em 30% do salário mínimo, temos um valor para o ano passado (2019) e desde o dia primeiro de janeiro temos um novo valor para o corrente ano (2020), vejamos:

Salário mínimo 2019: R$998,00
Pensão 2019 (30% do salário mínimo): 30% x R$998,00 = R$299,40

Salário mínimo 2020: R$1.039,00
Pensão 2020 (30% do salário mínimo): 30% x R$1.039,00 = R$311,70

E essa mudança é automática? Em teoria sim, mas caso quem está obrigado a pagar a pensão se negue a entregar o novo valor, cabe ao credor (normalmente o filho, se menor representado pela mãe ou pai) notificar o devedor e passar a exigir o pagamento do valor atualizado.

Por sua vez, se o devedor da pensão se negar a pagar a quantia correta, mesmo após a notificação do credor, o ideal é buscar um advogado de família e acionar o devedor na Justiça.

Aprendeu como exigir o seu direito de forma correta no ano de 2020? Se você acredita que eu te ajudei de alguma forma peço que retribua compartilhando o conteúdo com seus amigos e familiares nas redes sociais e grupos de whatsapp.

Deixem abaixo um comentário sobre o que acharam do conteúdo e escrevam suas dúvidas, pois será um prazer seguir debatendo o assunto com vocês.

SOBRE O AUTOR

Rodrigo Camargo é advogado, devidamente inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Paraná. Bacharel em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC-PR. Pós-graduado em Planejamento e Gestão de Negócios pela FAE Centro Universitário. Pós-graduado em Direito Processual Civil Contemporâneo pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC-PR. É sócio do escritório de advocacia Camargo & Radziminski advogados associados.

FALE COM O AUTOR

E-mail: contato@cradvogados.com

AVISO LEGAL

Este artigo não pretende servir de aconselhamento jurídico e não substitui a consulta a um advogado. Se você tiver alguma dúvida jurídica consulte sempre um advogado!

CRÉDITO DA IMAGEM

Ilustrativa/Freepik

Nenhum Comentário

Deixe um comentário